"O alvo é indiscriminado"

Nuno Severiano Teixeira sublinha as diferenças entre os últimos atentados em Paris e os de janeiro, que visaram o Charlie Hebdo. E explica porque são muito mais perigosos