Pela primeira vez, está em risco a maioria que sempre existiu no Parlamento Europeu formada pelo centro-direita e pelo centro-esquerda tradicionais. A menos de duas semanas das eleições europeias, os partidos populistas eurocéticos, especialmente da extrema-direita, mostram-se a crescer. Miguel Sousa Tavares diz que os "europeus deviam insistir na maior participação dos jovens" e sublinha que os "nacionalismos acontecem por tradição em regiões ou países ricos".