Eutanásia "não é matéria de referendo, porque os direitos humanos não são referendáveis"

Constança Cunha e Sá analisou, no seu espaço de comentário semana "Hora da Constança", a despenalização da eutanásia e a possibilidade de um referendo, mais concretamente a posição de Jerónimo de Sousa e Rui Rio. 

Na perspetiva da comentadora, a eutanásia não é um tema que deva ser resolvido com um referendo, porque "os direitos humanos não são referendáveis". 

"A vida e a morte não são referendáveis", acrescentou. No entanto, entende que a Assembleia da República tem toda a legitimidade para legislar. 

Constança disse ainda que a eutanásia não é um tema que possa ser cingido ao "sim" e ao "não" de um referendo.

A manter-se tudo como está, a despenalização da eutanásia deverá ser aprovada na próxima quinta-feira no Parlamento, com os votos de uma grande parte da bancada do PS, do Bloco de Esquerda, do PAN, dos Verdes e da Iniciativa Liberal.

Sobre "21ª Hora"