Portas considera inaceitável "solução de ‘ajudinha para o couvert dos restaurantes’"

Paulo Portas classificou a situação pandémica de Portugal como "séria e grave", ao constatar que o país está a registar 681 por cada 100 mil habitantes, quando o limiar do primeiro-ministro sempre foi os 240 casos. 

O comentador da TVI mostrou-se convicto da renovação do estado de emergência mais do que uma vez.

Fez um apelo ao Governo, especialmente a António Costa, para que pense bem em como vai implementar medidas daqui para a frente, dando como exemplo o mau resultado do confinamento mais apertado no fim de semana e o apoio de 20% ao setor da restauração. 

Houve ainda tempo para falar sobre a vacina da Pfizer, a transição de poder nos Estados Unidos e para fazer uma referência à morte de Gonçalo Ribeiro Telles.

Sobre "Global"