Primeira Mão: “500 milhões do Estado não vão ser suficientes para a TAP”

 

Na rubrica Primeira Mão, Pedro Santos Guerreiro analisou a situação financeira da TAP depois de a TVI ter avançado que a empresa pode despedir mais dois mil trabalhadores, cortar em 20% os salários e reduzir a frota em pelo menos 20 aviões.

Santos Guerreiro afirma que não se lembra de um processo de redução tão brutal numa empresa em Portugal e sublinha que a TAP vai ter um prejuízo de mil milhões de euros, com as receitas a caírem dois terços.

Sobre "Primeira Mão"