“Os filhos não existem para colmatar os desejos dos pais nem devem ser instrumentalizados”

Rita Lobo Xavier esclarece que as alterações à lei, que abrange a procriação medicamente assistida, foram no sentido de beneficiar as mulheres com dificuldades em engravidar. A especialista, membro do Conselho Nacional de Ética Para as Ciências da Vida, diz que não se pode ignorar o superior interesse do filho que este não pode servir para colmatar qualquer desejo dos pais nem ser instrumentalizados. 

Sobre "21ª Hora"