Francisco São Bento, presidente do Sindicato de Motoristas de Matérias Perigosas, considera "um exagero" a presença de militares e polícia nos locais de greve, parecendo que os motoristas têm uma imagem de "terroristas".