Partilha de dados: Amnistia Internacional fala em ação insólita e excessiva

A divulgação de dados a entidades estrangeiras não foi caso único, admitiu Fernando Medina, dizendo que esse é um procedimento com vários anos. A Amnistia Internacional avisa que é necessário contactar todas as pessoas em condições semelhantes, apurar o perigo que correm, bem como as suas famílias, e tratar da sua segurança.

Sobre "Jornal das 8"