Na convenção socialista, Mário Centeno assumiu um protagonismo especial. E não apenas por ser um dos nomes falados para dirigir o FMI. Falou por duas vezes aos militantes ao longo do dia, prometendo aumentar o investimento e baixar a divida pública.