A ministra da Saúde defende que a isenção de taxas moderadoras nos centros de saúde deve ser enquadrada na nova Lei de Bases da Saúde e não à parte, como quer o Bloco de Esquerda, e foi aprovado em plenário no mês passado. Marta Temido foi ouvida na Comissão de Saúde, no Parlamento, onde classificou como intolerável a suposta alteração de resultados clínicos e de algoritmos da triagem da urgência por parte da PPP do Hospital de Cascais