Marcelo promulga orçamento do Estado e pede rigor na execução

Presidente da República não vê razões políticas nem constitucionais para não promulgar, mas lembra que a política é a arte do possível e resta saber "se o possível será suficiente"