"Portugueses não têm saudades" do tempo que era imprevisível saber se havia dinheiro para pensões e salários"

Nuno Magalhães, líder da bancada do CDS.