Quando Costa não interrompeu as férias "esteve em causa a morte de 60 pessoas", acusa Rio

Rui Rio espera que o Governo tenha sentido de Estado para mediar o conflito que opõe os motoristas de matérias perigosas e a ANTRAM, e acusa o Executivo de montar um "circo mediático" durante a greve para ter ganhos eleitorais.

António Costa respondeu-lhe dizendo que o líder do PSD tinha decidido não interromper as férias e por isso tinha estado desatento, e Rio contra-atacou afirmando que quando o primeiro-ministro não interrompeu as férias, durante o incêndio de Pedrógão Grande, "esteve em causa a morte de 60 pessoas".