Quase 20 anos depois, o 'mea culpa' de Durão Barroso

Na altura primeiro-ministro de Portugal, Durão Barroso aceitou, em 2003, organizar a Cimeira das Lajes, onde foi acordada a invasão do Iraque, com base em provas forjadas. Se fosse hoje, assumiu, não teria apoiado a invasão. Na reunião, Durão Barroso foi anfitrião do então presidente norte-americano, George W. Bush, e dos, na altura, primeiros-ministros britânico, Tony Blair, e espanhol, José Maria Aznar.

 

Sobre "Jornal das 8"