Portugal em 2100: 6,6 milhões de habitantes e mais 22% de impostos

Se as finanças públicas não forem sustentáveis, as famílias no futuro serão obrigadas a pagar mais impostos, receber menos benefícios ou desfrutar de menos serviços públicos.

Esta é a conclusão de um estudo, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com a nova SBE.

Foram feitas algumas estimativas.  Por exemplo, se nada for feito, por exemplo, em 2100, haverá menos de 7 milhões de pessoas a viver em Portugal. E os impostos poderão subir mais de 20 por cento.