Primeiro-ministro diz que recolher obrigatório foi escolher "o mal menor"

António Costa reconhece que as medidas que entraram em vigor esta segunda-feira são muito duras e perturbam muito a vida dos portugueses, mas que foi preciso escolher "o mal menor".

O primeiro-ministro avisa, no entanto, que esta pandemia não se enfrenta sem dor  e volta a apelar aos portugueses para que mantenham os comportamentos preventivos.

Sobre "Jornal da Uma"