Primeiros casos graves de gripe A em Portugal

Ministro diz que não há razão para alarme