Procriação assistida pós-morte aprovada: “Estou orgulhosa do meu país”

Ângela Ferreira foi a protagonista de uma série de reportagens da TVI, da autoria do jornalista Emanuel Monteiro, porque queria engravidar do marido que já tinha morrido.

A procriação medicamente assistida após a morte foi agora aprovada, na generalidade, no Parlamento.

Ângela Ferreira não esconde a felicidade que sente com a decisão e diz que foi feita justiça.

Sobre "Jornal da Uma"