Estudantes alegam que a direção da Escola Secundária de Vagos teve uma atitude discriminatória e protestaram dentro do estabelecimento de ensino