Rede de recrutadores do Estado Islâmico atuava em Portugal

Hugo Franco, jornalista do Expresso, conta que a célula recrutava pela internet e mantinha encontros em cafés e lojas.