Repórter TVI: “É como se a mãe descesse à terra”

De norte a sul, não há vila, freguesia e até lugar que não contemple e festeje a sua imagem religiosa, santa ou santo da terra, uma vez por ano. A grande maioria das vezes, faz-se a festa apenas para cumprir uma tradição, que não não sabe de onde vem. É certo que a fé e a devoção não se explicam, mas vivem-se de formas diferentes em muitos lugares deste país católico. Esta celebração da Mãe Soberana, em Loulé, é diferente! Não é uma obrigação à Nossa Senhora, tem pouco de tristeza, arrasta multidões e é mais do que um ritual católico que se cumpre uma vez por ano. Aqui a fé é um querer de um povo na figura máxima do concelho. É uma questão de pertença, que por acaso, tem estado lado a lado com a igreja católica. A Mãe Soberana é fé e muito da identidade deste povo! “É Como Se a Mãe Descesse à Terra” é uma Grande Reportagem da jornalista Catarina Canelas, com Imagem de João Franco, Tiago Donato e Rodrigo Cortegiano e Edição de Imagem de João Pedro Ferreira