Serviço de TAC funcionava sem licença no Hospital da Guarda

Vidro que permitia a fuga de radiação da sala de TAC no Hospital da Guarda já foi substituído, mas a unidade espera agora a licença da Direção-Geral de Saúde para reabrir o serviço. Trata-se de uma certificação obrigatória, mas que nunca foi atribuída ao serviço de imagiologia deste hospital. Ou seja, até ao episódio da fuga de radiação, o serviço funcionou sem  licença