13 de Maio: “Fátima não é um local de pagamento de promessas”

É um momento histórico para a igreja católica em Portugal. Pela primeira vez na sua história, o 13 de maio celebra-se sem público e peregrinos.

O teólogo Henrique Pinto defendeu, esta quarta-feira, a ideia de que Fátima não é um local onde as pessoas “pedem graças” e voltam no ano seguinte para “pagar essas graças”. Em declarações à TVI, explicou que a ideia de um Deus que “só dá a quem lhe der” é uma noção “completamente errada”.

Sobre "Diário da Manhã"