“A febre e a falta de ar só muito menos comuns que as dores de cabeça ou musculares”

Vasco Ricoca Peixoto, médico de saúde pública e investigador da Escola Nacional de Médicos de Saúde Pública, explicou por que motivo a DGS continua a assumir a febre, tosse seca e a falta de ar como os sintomas mais comuns da covid-19.

O médico esclarece que as dores cabeça ou musculares são mais comuns que estes sintomas, em doentes infetados com SARS-CoV-2. No entanto, não seria sensato assumir que qualquer dor de cabeça ou muscular seria uma manifestação de covid-19.

Sobre "Segunda Vaga"