Alcochete: “A montanha pariu um rato”

 

O advogado Pedro Barosa analisou esta quinta-feira a absolvição de Bruno de Carvalho como autor moral da invasão à academia de Alcochete e não deixou de mostrar o seu espanto pela invulgaridade do processo que, em dois anos, preencheu todas as fases.

Sobre a dimensão do processo, que envolveu 44 arguidos e cerca de 4 mil crimes, o advogado afirmou ainda que parece haver uma tendência de alguns procuradores para imputar o máximo número de crimes a um arguido. 

Sobre "Notícias"