"Alexandra Borges": a luta de Margarida é a mais emocionte história de Natal que já ouviu

Tem apenas sete anos, mas uma experiência de vida que impressiona todos os que com ela se cruzam: a doença crónica, e grave, com que foi diagnosticada há pouco mais de um ano, prende Margarida a um tubo de oxigénio, 24 horas por dia.

É a contar as horas que espera por um transplante pulmonar, uma cirurgia delicada que só pode ser feita em Barcelona, através de um dador morto, quando completar 11 anos, ou nos Estados Unidos, país onde a operação pode ser feita já, porém com um preço que a família não pode pagar.

Sobre "Alexandra Borges"