"Alexandra Borges": descobertos dezenas de novos nomes de crianças adotadas por bispos e membros da IURD

Tráfico de pessoas, associação criminosa e corrupção são alguns dos crimes públicos que o Ministério Público diz estarem em causa no inquérito às adoções da IURD, mas que considerou prescritos criminalmente, decidindo arquivar o processo. Os criminosos já não podem ser punidos porque passou muito tempo e os crimes, apesar de muito graves, já prescreveram. A investigação jornalística da TVI continua com novas revelações

Sobre "Alexandra Borges"