Autarca de Barcelos em prisão domiciliária pede substituição no cargo por 29 dias

No âmbito da "Operação Teia", Miguel Costa Gomes, que está em prisão domiciliária, não abdicou do cargo, mas como medida de coação está impedido de contactar com os funcionários da câmara. O autarca não quis abandonar o cargo, mas agora pediu a substituição temporariamente para que o tribunal esclareça o alcance da proibição.