Insatisfeita com o Programa Rendas Acessíveis do Estado, a Câmara de Lisboa promove um programa alternativo. O valor a pagar por cada casa não deve ser maior do que 30% do rendimento líquido das famílias.