Desde o início do Governo de António Costa foram criados mais de 50 novos sindicatos

Em Portugal, não tiveram adesão as tentativas de replicar o movimento dos coletes amarelos, mas no sindicalismo há sinais de algumas mudanças significativas. As últimas greves com grande impacto no país foram organizadas por sindicatos novos, com mecanismos de financiamento diferentes dos habituais e sem estarem necessariamente ligados a alguma das duas centrais sindicais (CGTP ou UGT). O caso mais recente foi a greve dos motoristas de combustíveis, que paralisou o país em apenas 3 dias