O Serviço de Oncologia do Centro Hospitalar Universitário do Algarve viu um pedido de análise ser negado pelo IPO de Lisboa por não ter sido entregue um termo de responsabilidade. Quando o problema burocrático foi resolvido, o doente já não tinha condições físicas para iniciar o tratamento de quimioterapia e acabou por falecer.