Dois meses depois, o surto de legionella no Grande Porto continua sem respostas

Mais de dois meses depois do surto de legionella que vitimou 14 pessoas nas zonas de Matosinhos, Vila do Conde e Póvoa de Varzim, ainda não há certezas sobre a origem da bactéria.

O caso vai chegar à Assembleia da República, pela mão do PCP.

Familiares e amigos das vítimas exigem respostas.

Sobre "Jornal da Uma"