Foi em março de 2018 que o caso E-Toupeira ficou conhecido, quando a Polícia Judiciária fez buscas e deteve o assessor jurídico dos encarnados, Paulo Gonçalves.