"Em tribunal, ficou tudo provado que era mentira"

Hugo Ernano desmente a versão do pai do menor que matou acidentalmente em 2008