Freixo histórico estava moribundo e podia causar uma tragédia

O presidente da Câmara da Figueira da Foz, Carlos Monteiro lembrou a tragédia na Madeira para justificar o abate do Freixo com 300 anos, que era uma das duas únicas árvores classificadas como de Interesse Público do município.

Sobre "Jornal da Uma"