Gonçalo Amaral considera suspeito alemão “bode expiatório”

 

Treze anos depois do desaparecimento de Madeleine McCann o caso tem um novo suspeito: um alemão de 43 anos que não é desconhecido das autoridades.

Este homem já tinha sido investigado e descartado e para Gonçalo Amaral, primeiro coordenador desta investigação, trata-se de "um bode expiatório".

O ex-coordenador da judiciária de Portimão foi afastado depois de ter feito duras críticas às autoridades inglesas. A relação com o casal McCann também conheceu momentos de grande tensão e chegou mesmo a tribunal. 

Sobre "Jornal das 8"