Greves no SNS equivalem a 72 mil dias de trabalho perdidos

Em 2015, ano em que Portugal estava a sair do programa de ajuda da troika, o governo de Passos Coelho enfrentou metade da contestação na saúde. Nos últimos meses, médicos, enfermeiros e outros profissionais têm exigido salários mais altos e melhores condições de trabalho.