Lei da procriação após a morte "prevê o consentimento do pai"

A constitucionalista Teresa Violante explica que a lei que define os critérios para a procriação após a morte prevê o consentimento do futuro pai, estabelecendo um acordo por escrito em que a pessoa concorda com este projeto de parentalidade. 

Sobre "Hoje é notícia"