Maioridade deixa 1800 jovens deficientes sem apoio escolar

Os jovens deficientes que frequentam as unidades de multideficiências do ensino especial têm de abandonar a escola aos 18 anos. Os pais queixam-se de falta de respostas, as instituições especializadas não têm vagas e grande parte dos jovens acaba por ficar em casa.

Sobre "Jornal da Uma"