Militar acusado de abandonar posto garante que cumpriu serviço na íntegra

Começou esta manhã a ser julgado um militar da GNR acusado de ter abandonado o posto de patrulha às autoestradas A14 e A17 duas horas antes do fim do turno.

Ao tribunal, o arguido justificou o abandono com o facto de ter feito quatro horas de serviço gratificado imediatamente antes da sua escala. Segundo o militar, é prática comum nestes casos os guardas cumprirem apenas 6 horas de serviço. 

O militar arrisca pena de prisão até um ano.

 

Sobre "Jornal da Uma"