Militar da GNR que ficou com 105 euros de carteira perdida só queria proteger o dinheiro

Ministério Público acusou de peculato um militar, de 33 anos, do posto territorial de Braga, mas o advogado do GNR, João Magalhães, alega que o cliente não quis ficar com o dinheiro e que, como estava sozinho no atendimento, resolveu apenas separar o dinheiro da carteira perdida e colocá-lo num envelope para guardar no cofre do posto.

Sobre "Jornal da Uma"