"Não quero que me chamem heroína, as pessoas precisavam de ajuda"

Margarida Sousa, a porteira portuguesa que ajudou vítimas do ataque ao Bataclan em Paris, em novembro, vai ser homenageada pela Câmara de Penafiel