A CPLP vai visitar Malabo, na Guiné-Equatorial, a 5, 6 e 7 de junho, depois de o governo de Teodore Obiang ter adiado a primeira visita. Uma comissão técnica vai averiguar se os compromissos assumidos em 2014 estão a ser cumpridos. Miguel Sousa Tavares acredita que, no que diz respeito à pena de morte, não houve uma resolução: houve uma suspensão.