Paulo Machado trabalha em Maputo, mas por razões profissionais estava na cidade da Beira na passada quinta-feira quando a fúria do ciclone Idai atingiu a cidade.