Procuradora não avisou chefia das vigilâncias a jornalistas

A procuradora que, em 2015, coordenava a secção, onde começou o inquérito aos jornalistas e a um inspetor da PJ, por violação do segredo de justiça, questiona a legalidade da vigilância que foi pedida pela magistrada que na altura estava sob a sua chefia.
A coordenadora afirma mesmo que nunca lhe foi dado a conhecer o pedido então feito à PSP para andar atrás dos jornalistas.