Trabalhadora foi despedida duas vezes mas vai ser reintegrada na corticeira

O caso de Cristina Tavares arrasta-se desde 2017 num dos braços de ferro mais mediáticos entre patrões e um trabalhador. A empresa já foi condenada a pagar cerca de 40 mil euros em multas diversas relacionadas com o tratamento ilegal da funcionária