Trabalhadores dos impostos e alfândegas protestam contra o atraso na negociação das carreiras

Os trabalhadores dos impostos e das alfândegas começaram esta quarta-feira uma greve que irá prolongar-se até 31 de dezembro. De acordo com Paulo Ralha, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, a adesão está a ser bastante elevada em todo o país, sendo que existem várias repartições encerradas.