Tancos: procuradores não gostaram que Marcelo e Costa não fossem inquiridos

É o diretor do departamento central de investigação e ação penal (DCIAP) quem o afirma, tendo alegado a diginidade e o prestígio dos cargos de Presidente da República e de primeiro-ministro para que os procuradores do caso de Tancos não enviassem questões por escrito a Marcelo de Rebelo de Sousa e António Costa.

Sobre "Notícias"