O serviço do Ministério da Saúde que estuda os comportamentos aditivos concluiu que os jovens de 18 anos estão a ter mais problemas com a Internet do que com o consumo de álcool ou drogas