Caso ocorreu numa escola profissional em Vagos. Vítima alega ser alvo de perseguição, assédio e difamação há quatro meses e já apresentou queixa no Ministério Público